II Ciclo de Palestras de Língua,Cultura e Literatura Japonesa da UFAM

II Ciclo de Palestra de Língua,Cultura e Literatura Japonesa da UFAM.

Folder do Evento

Data: 09 de Maio de 2014

Local: Bloco Mário Ypiranga-Sala 06-ICHL/UFAM

Horário: 18:00 horas

Palestra: “Tradução religiosa e imigração japonesa: tradução como tema relevante nos estudos japoneses no Brasil”

Palestrante: Prof.Dr Ronan Alves Pereira (UnB)

 Na ocasião, haverá também apresentação do curso  de Letras – Língua e Literatura Japonesa pelo discente Artur Filipe Rocha Morais e ao final uma confraternização de Boas Vindas aos alunos ingressantes do curso.

Resumo da Palestra

        Práticas e crenças religiosas japonesas chegaram ao Brasil, com raríssimas exceções, pelas mãos dos imigrantes que vieram trabalhar majoritariamente nos cafezais paulistas, a partir de 1908. Quando essas religiões começaram a cruzar a fronteira da comunidade nikkei em direção à sociedade nacional, nas décadas de 1950 e 60, depararam-se com a questão da tradução: o que traduzir? como e quem fará tal tradução? Nesta comunicação, parto de minha experiência com pesquisa sobre a religiosidade japonesa –o que inclui leituras, uso de material traduzido, trabalho de campo e minhas próprias traduções— para tecer comentários e discutir questões teóricas sobre a tradução religiosa. Serão debatidas questões linguísticas e extralinguísticas envolvendo a tradução religiosa, como diferenças socioculturais, multiplicidade das grafias na língua japonesa, tradução como elemento crucial na estratégia de propagação de grupos religiosos, entre outras. Se a comunicação entre línguas e culturas é um pressuposto cada vez mais aceito e imprescindível em um mundo globalizado, a transnacionalização religiosa é um fenômeno igualmente relevante tanto quanto crescente. Neste contexto, a tradução religiosa tem suas especificidades, não somente por se tratar de “textos sensíveis” com restrições em relação ao caráter institucional do texto de partida e à aceitabilidade do texto de chegada, como também por ser “adaptação de ideias e textos conforme eles passam de uma cultura para outra” (Burke 2009). 

You may also like...

1 Response

  1. Cristina Rosoga Sambuichi disse:

    Parabens a Area de Japones para convidar o professor Ronan! Foi uma palestra muito interessante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *